carregando

Abrir detalhes

Ateliê Julia Krantz

São Paulo

18 de junho de 2020

São Paulo

“Não, não 

São Paulo é outra coisa 

Não é exatamente amor 

É identificação absoluta”  

Itamar Assumpção 

Sou eu, fui sempre imagem, reflexo exato, inexato, dessa potência instigadora, exuberante e compacta. 

Aglomero em mim as tantas faces desta vasta cidade, o ruído demolidor da escavadeira sacudindo meus sentidos, o cheiro quente da nova camada de asfalto encobrindo crateras do descaso, a tempestade ácida corroendo esqueletos de edifícios inacabados. 

Cinza chumbo, cinza prata, cinza líquido que desagua em mim a lava condensada de provocações. 

De solavanco a cidade me pergunta: e aí? Vai fazer o que com tudo isso? 

E da mesma maneira como a era brota do vinco da rachadura de concreto, da mesma forma que as raízes da seringueira estouram o pavimento outrora polido, ortogonal e limpo, da minha mente as ideias saltam, invadem a dimensão real, factual, geográfica do meu ateliê e se manifestam através da matéria, madeira, que ao som descompassado e ruidoso das máquinas e ferramentas se avoluma, se reorganiza em conexão com tudo oque sou. Sou São Paulo. Com amor. 

Julia Krantz

,

0 Comments

Deixe uma resposta